segunda-feira, 4 de agosto de 2014

Revelações - YOKO ONO



REVELAÇÕES
 
Seja abençoado por sua raiva,
pois ela é um sinal de sua energia crescente.
Não a direcione à sua família, não a desperdice
em seu inimigo.
Transforme essa energia em versatilidade
e ela trará prosperidade.
 
Seja abençoado por sua mágoa,
pois ela é um sinal de vulnerabilidade.
Não divida com sua família, não a direcione a sí mesmo.
Transforme essa energia em compaixão
e ela trará amor.
 
Seja abençoado por sua ganância,
pois ela é um sinal de grande capacidade.
Não a direcione à sua família. Não a direcione ao mundo.
Transforme-a em energia para doar.
Doe o quanto quer receber
e vai sentir satisfação.

Seja abençoado por sua inveja,
pois ela é um sinal de empatia.
Não a direcione à sua família, não a direcione a seus amigos.
Transforme essa energia em admiração
e o que você admirar se tornará parte de sua vida.

Seja abençoado por seu medo,
pois ele é um sinal de sabedoria.
Não se prenda ao medo.
Transforme essa energia em flexibilidade
e se libertará do que teme.

Seja abençoado por sua busca por um objetivo,
pois é um sinal de aspiração.
Transforme essa energia em receptividade
e o objetivo virá até você.

Seja abençoado pelas vezes em que vê o mal.
O mal é uma energia manejada incorretamente
e se alimenta do seu apoio.
Não o alimente e ele vai se autodestruir.
Irradie a luz e ele deixará de existir.

Seja abençoado pelas vezes em que não sente amor.
Abra seu coração à vida mesmo assim
e logo irá encontrar
amor em você.

Seja abençoado, seja abençoado, seja abençoado.
Seja abençoado pelo que você é.
Você é um mar de bondade, um mar de amor.
Enumere suas bençãos todos os dias, pois elas serão sua
proteção, e se colocarão entre você e o que não deseja.
Enumere suas desgraças e elas serão um muro
e se colocarão entre você e o que deseja.

O mundo tem tudo de que você precisa
e você tem o poder
de atrair o que deseja.
Deseje saúde, deseje alegria.
Lembre-se, você é amado.

Eu amo você!
 
YOKO ONO.

quarta-feira, 9 de julho de 2014

Os 4 compromissos da filosofia tolteca

Texto extraído de http://dharmalog.com


Os celebrados 4 compromissos da filosofia tolteca que “quebram toda a força vinda do medo”, por Don Miguel Ruiz

Alguns livros tem o poder de mudar paradigmas pessoais e de trazer uma nova atitude pra vida de algumas pessoas, e o livro “Os Quatro Compromissos – o Livro da Filosofia Tolteca“, do autor mexicano Don Miguel Ruiz, é um deles. Baseado numa cosmologia conhecida, que entende o mundo como um grande sonho humano criado pela mente, o livro da Filosofia Tolteca (referente a uma civilização que teria vivido há milhares de anos nas cidades mexicanas de Teotihuacan e Tula) busca desfazer o engano dos compromissos mundanos que advém do medo, e propões quatro novos compromissos que nos levariam à percepção da verdade, das ilusões e do destino pessoal correto em nossas vidas. Os compromissos são “acordos” de nós para nós mesmos, que teriam o poder de nos fazer gradualmente reganhar as energias que perdemos nos esforços para compensar nossos equivocados medos e poder viver alegria e realização.
Parece um livro de auto-ajuda (essa classificação que arrepia tanta gente séria e inteligente), e, sendo ou não, os compromissos tem notável embasamento psicológico e filosófico. Todos eles trabalham no mesmo sentido: o enfraquecimento do poder que damos deliberadamente para as impressões que vem do exterior e o fortalecimento de nosso próprio ser interior. No caso do segundo acordo, por exemplo, “não leve nada para o lado pessoal”, combate a invasiva tentativa dessas impressões exteriores nos convencerem “à força” que são verdadeiras. “Impressões exteriores” aqui é naturalmente força da expressão, usada apenas para designar impressões pré-concebidas, “anteriores”, que não vem necessariamente da realidade do que está acontecendo.
Abaixo, os títulos dos quatro compromissos e um pequeno trecho inicial de cada um, geralmente o primeiro parágrafo, como está no livro de Don Miguel Ruiz. É fundamental ler a introdução do livro, onde é explicada a cosmologia e o que a Filosofia Tolteca diz a respeito da vida e do mundo, e também a parte posterior à descrição dos quatro compromissos, como a que contém “O Caminho Tolteca para a Liberdade“, que traz instruções e explicações. Portanto, é recomendável a leitura do livro inteiro para que os significados e a filosofia sejam compreendidas apropriadamente.

O PRIMEIRO COMPROMISSO
Seja impecável com sua palavra
“O primeiro compromisso é o mais importante e também o mais difícil de cumprir. É tão importante que apenas com esse primeiro compromisso você serácapaz de transcender ao nível de existência que chamo de céu na Terra. O primeiro compromisso é ser impecável com sua palavra.
O SEGUNDO COMPROMISSO
Não leve nada para o lado pessoal
“Os três compromissos seguintes na verdade se originam do primeiro. O segundo compromisso é: não leve nada para o lado pessoal. O que quer que aconteça com você, não tome como pessoal. Usando oexemplo já mencionado, se o vejo na rua e digo: “Você é um estúpido”, semconhecê-lo, não estou falando de você, estou falando de mim. Se você levar parao lado pessoal, talvez acredite que é estúpido. Talvez possa dizer para si mesmo:”Como ele sabe? Será clarividente ou todos percebem que sou estúpido?”. Você leva tudo para o lado pessoal porque concorda com o que está sendo dito.Assim que concorda, o veneno passa através de você e o prende no sonho do inferno. O que causa a sua própria captura é o que chamamos de importância pessoal. Importância pessoal, ou levar as coisas para o lado pessoal, é a expressãomáxima do egoísmo porque cometemos a presunção de achar que tudo é sobre”nós”.
O TERCEIRO COMPROMISSO
Não tire conclusões
“O terceiro compromisso é não tire conclusões. Nós temos a tendência para tirar conclusões sobre tudo. Presumir. O problema com as conclusões é que acreditamos que elas são verdadeiras. Poderíamos jurar que são reais. Tiramos conclusões sobre o que os outros estão fazendo e pensando – levamos para o lado pessoal-, então os culpamos e reagimos enviando veneno emocional com nossa palavra. Por isso sempre que fazemos presunções estamos pedindo problemas. Tiramos uma conclusão entendemos errado, levamos isso para o lado pessoal e acabamos criando um grande drama do nada. Toda tristeza e drama que você passou em sua vida foram causados por tirar conclusões e levar as coisas para o lado pessoal. Pare um instante para examinar essa afirmativa. Toda a teia de controle entre seres humanos é sobre tirar conclusões e levar as coisas para o lado pessoal. Todo o nosso sonho de inferno é baseado nisso.
O QUARTO COMPROMISSO
Sempre dê o melhor de si
“Existe apenas mais um compromisso, porém é o que permite que os outros trêsse tomem hábitos profundamente enraizados. O quarto compromisso se refere à ação dos outros três: Sempre de o melhor de si. Sob qualquer circunstância, semprefaça o melhor possível, nem mais nem menos. Porém, tenha em mente que o seu”melhor” nunca será o mesmo de um instante para outro. Tudo está vivo emudando o tempo todo; portanto, fazer o melhor algumas vezes pode produzir alta qualidade e outras ‘vezes não vai ser tão bom. Quando
você acorda, descansado e energizado, de manhã, o seu “melhor” tem mais qualidade do que quando você está cansado, à noite. Seu “melhor” possui mais qualidade quando você está saudável do que quando doente, ou sóbrio em contraposição a bêbado. Seu “melhor” vai depender de você estar se sentindo maravilhosamente feliz ouaborrecido, zangado ou ciumento. Nos diferentes estados de espírito do dia, seu humor pode mudar de um instante para outro, de uma hora para outra ou de um dia para outro. Seu “melhor” tambémirá se alterar ao longo do tempo. À medida que você se habitua aos quatro compromissos, seu “melhor” irá se tornar mais e mais eficiente. Independente da qualidade, continue dando o melhor de si, nem mais nem menos.”

segunda-feira, 7 de abril de 2014

Música para a semana




Remix de Max Cooper para música de Nils Frahm não podia dar outra coisa. 

Sensacional. Keep it loud, please !





domingo, 6 de abril de 2014

Frase para a semana: consciência ao presente - Buddha

When things are going well, be mindful of adversity. When prosperous, be mindful of poverty. When loved, be mindful of thoughtfulness. When respected, be mindful of humility. - Buddha


Quando as coisas estiverem indo bem, estar atendo às adversidades
Quando próspero, estar atendo à pobreza
Quando apaixonado,  ser consciente de reflexão
Quando respeitado, estar atendo à humildade.




terça-feira, 1 de abril de 2014

Endodontia em sessão única

______________________________________________________________________________

Este é um caso da rotina na Endodontia.
 Molar superior com 04 canais e necrose pulpar evidente pela periodontite apical crônica.
O tratamento foi realizado em sessão única. 
ENDODONTIA DE RESULTADOS
ENDODONTIA MICROSCÓPICA



sexta-feira, 28 de março de 2014

Easy Logic, nova proposta de instrumentação endodôntica

Os quatro molares abaixo, foram realizados seguindo uma nova proposta: EASY LOGIC. Uma única lima rotatória, adaptada à anatomia do dente. Como podemos observar com as radiografias finais, executamos o preparo e modelagem de maneira conservadora e segura.



Protocolo:
Radiografias digitais com sensores Schick CDR Elite
Microscopia Operatória OPMI Zeiss
Medição foraminal eletrônica RootZX
Instrumentação EASY 
Patência obtida com instrumentos rotatórios 25.01, 30.01 ou 35.01
Instrumentação com Easy Logic 30.05 ou 35.05
Irrigação: Clorexidina gel 2% + Soro Fisiológico + EDTA
Obturação pela técnica de Mcspadden a partir de cone único + Kerr Pulp canal Sealer 
Selamento coronário com resina Dentsply SDR ou DMG Luxacore. 


domingo, 28 de julho de 2013

O homem que viveu 256 anos


O homem que viveu 256 anos

Li Ching-Yun se exercitava todos os dias e se alimentava em horários regulares

Li-Ching era de Qi Jiang Xian, na província de Szechuan, e de acordo com alguns registros, o chinês nasceu em 1677. Sobre a longevidade de Yun, descobriram que ele era um médico especialista em ervas medicinais, mestre de qigong e consultor tático. Dizia que o segredo para uma vida longa é manter o coração calmo, sentar como uma tartaruga, andar alegre como um pombo e dormir como um cão. A frase jamais foi esquecida por Wu Pei-Fu, um senhor da guerra chinês que teve grande influência no país entre 1916 e 1927.
O chinês Li Ching-Yuen, também conhecido como Li Ching-Yun, possivelmente foi o homem que viveu mais tempo na Terra, chegando aos 256 anos. Ao longo da vida, perdeu 23 esposas e supera de longe a francesa Jeanne Calment que morreu com 122 anos e 164 dias, considerada a pessoa que mais viveu.
Li despertou a paixão por colher ervas com apenas dez anos. À época, já tinha viajado para Kansu, Tibet, Annam, Sian e Manchúria. Pouco tempo depois, emigrou para Kai Hsien, onde conheceu mestres de renome do taoísmo que lhe ensinaram a alquimia interna, o chi kung e a arte secreta de como usar ervas para se manter saudável e alcançar a longevidade. Na fase adulta, após se tornar um mestre das ervas e das artes marciais, começou a comercializar as plantas que coletava. Com 71 anos, se juntou ao Exército Provincial do comandante Yeuh Jong Chyi, assumindo a função de professor de artes marciais e conselheiro tático.
Em 1933, ao retornar a sua terra natal, Li-Ching morreu de causas naturais e o general Yang designou uma equipe para investigar o passado do homem. Yeun dizia ter nascido em 1734, ou seja, teria vivido 199 anos. Entretanto, uma equipe de pesquisadores da Universidade Minkuo encontrou registros de que Li nasceu em 1677. As principais provas são os documentos do Governo Imperial Chinês o parabenizando pelos aniversários de 150 e 200 anos. Em depoimentos de pessoas que conheceram Yuen também ficou claro que ele aparentava ter menos de 70 anos.
Investigações confirmaram ainda que Li não consumia bebida alcoólica e nem fumava. Fazia refeições em horários regulares e tomava um suco a base da fruta goji que é abundante em aminoácidos. Entre outros hábitos, o chinês dormia cedo e acordava cedo todos os dias. Nâo passava um dia sem praticar exercícios físicos e também meditava muito, chegando a ficar horas sem se mover, com os olhos fechados e as mãos no colo.
Cientistas explicaram mais tarde que a meditação reduzia o envelhecimento natural do cérebro de Yuen, impedindo o encolhimento cerebral. Trata-se de uma mudança mental que diminui os efeitos do estresse, depressão e ansiedade.
Referências: New York Times, Revista Time e Four Winds.

terça-feira, 1 de janeiro de 2013

Para uma reflexão odontológica


Rogue dentist’s 30-year crusade against wisdom teeth removal extracts results


FROM: http://news.yahoo.com/blogs/lookout/rogue-dentist-30-crusade-against-wisdom-teeth-removal


Dr. Jay Friedman relishes his role as dental outcast. Like a pesky younger brother who enjoys watching his siblings squirm, the 86-year-old dentist and public health advocate has for decades been poking and prodding at the oral health community over his personal obsession: wisdom teeth.
Friedman has argued for more than 30 years that removing a young person's healthy wisdom teeth -- called "third molars" by professionals -- is an unnecessary and irresponsible practice. While many dentists and oral surgeons have dismissed him as a traitor and a zealot, in 2007, people in the public health arena began to listen.
That's when Friedman published an article in the American Journal of Public Health claiming at least two-thirds of the millions of wisdom teeth extracted each year at a cost of billions of dollars were removed for no good reason. In pointed terms, Friedman accused his colleagues of ignoring the lack of evidence supporting the need for such surgery in order to line their own pockets.
Friedman has compared the practice to prophylactic tonsillectomies, which were routinely performed on healthy children to prevent future throat problems in the first part of the 20th century, before the medical community denounced them as unnecessary.
"There can be no excuse for tolerating so many unnecessary extractions on millions of unsuspecting and misled people and putting them at risk of so much ... nerve injury. This is a public health hazard," Friedman wrote.
The next year, the American Public Health Association adopted a recommendation opposing the prophylactic removal of wisdom teeth and a few insurance plans decided they would no longer cover such extractions.
It's hard to overstate how much these developments have angered oral surgeons.
Dr. Lou Rafetto, a practitioner in Delaware, paused during a phone interview to apologize as he wound down a tirade. "Sometimes I get emotional when it comes to Jay Friedman," Rafetto said.
Many surgeons have been similarly angered by Friedman over the years and have questioned his qualifications since he is not a trained oral surgeon. Practitioners insist wisdom teeth cause many people problems later in life, and say it's prudent to remove them early rather than wait for trouble.
One surgeon said he recently had to remove an infected wisdom tooth in a 93-year-old man, who should have had it out when he was a teenager, when the surgery would have entailed a quick recovery.
"It's sort of a thorn in the side of people who actually treat patients with third molars that this guy gets so much traction," Rafetto said of Friedman.
Yet despite the maverick dentist's unpopularity, Friedman has sparked some soul searching within the profession and even prompted a change in policy.
Earlier this year, the official oral surgeons' group, the American Association of Oral and Maxillofacial Surgeons (AAOMS), adopted a new recommendation on wisdom teeth removal. For the first time, the group said surgeons should consider retaining young patients' wisdom teeth if they do not show signs of disease. For decades, the accepted wisdom was that all wisdom teeth should be removed.
"The retention part is new," said Dr. Thomas Dodson, a member of AAOMS's task force on wisdom teeth.
Dodson, an oral surgeon at Massachusetts General Hospital, sees himself as one of the few people in the middle of the acrimonious wisdom tooth debate. He argues that Friedman is ignoring the problems associated with keeping wisdom teeth while some oral surgeons are minimizing the risks of subjecting so many people to the surgery.
And there are risks. About 1 percent of people whose wisdom teeth are removed experience nerve damage -- usually temporary numbness of the lips, mouth, or tongue. Sometimes, that damage is permanent, leading to "frequent drooling, biting of the lip or the inside of the cheek or the side of the tongue, and paralytic disfigurement or drooping of the lip," Friedman wrote. Complications from anesthesia can lead to death in very rare instances.
There's no long-term research, however, on the risks of retaining healthy wisdom teeth.
Some studies suggest that about 30 percent of wisdom teeth removed each year created some kind of problem for the patient, ranging from gum disease to cysts to painful infections. And oral surgeons point to research that shows gums are more likely to be infected around wisdom teeth than other teeth, which can lead to other health problems.
Friedman argues that dental professionals should wait until they actually see signs of disease before removing a patient's wisdom teeth, saying it's not worth subjecting people to potential complications on a hunch that their wisdom teeth might cause problems later. (That's the official policy of Britain's National Health Service, which won't pay for prophylactic procedures.) The cost is also something to consider, since without insurance, wisdom teeth extractions can cost a patient several thousand dollars.
So when Dodson is treating a young patient whose wisdom teeth seem normal, he says he's not really sure what to tell them.
"The reality is the science is insufficient at this point to demonstrate that taking them out or leaving them is the right thing to do," Dodson said.
Jay FriedmanFriedman says in these situations, oral surgeons should tell their patients to come back if they or their dentist ever notice a problem. Dodson, however, leaves the decision up to the patient after warning them of the risks of both courses of action. He says about 60 percent of these patients opt for surgery.
Friedman calls the new AAOMS policy "a big sea change" from the days when retaining healthy wisdom teeth was not even an option, and happily takes credit for it. But he's not satisfied. Though he agrees that any wisdom teeth that are causing problems should be removed, he thinks oral surgeons are overhyping the risks of retaining teeth that don't show any symptoms.
Friedman has some reason to be skeptical of AAOMS policies.
A pamphlet on the group's website once stated that 80 percent of people who retained their third molars would experience problems with them within 10 years. After Friedman pointed out that the number did not seem to be based on any scientific research, AAOMS removed the figure.
Friedman, who once reviewed medical claims for self-insured companies, introduced his theory that most wisdom teeth extractions were unnecessary in a fiery speech to a California dental association in 1976. The editor of a local dentistry journal published the speech, prompting a wave of outraged letters from California dentists. To this day, oral surgeons say Friedman is biased against wisdom teeth extractions because his aim is to save the insurance industry money.
Friedman has taken out hundreds of wisdom teeth in his own right, including those belonging to his only child. When his daughter was 18 she began to complain of pain and discomfort from her wisdom teeth and Friedman was unable to dissuade her from taking a wait-and-see approach. He says he took her to his office, removed all four teeth in 15 minutes, and then flew the next day to a dental association meeting in Las Vegas to lecture oral surgeons on their overzealous extraction policies.
"I didn't tell them that the day before I had taken out my daughter's wisdom teeth," Friedman said mischievously.
Dodson, for one, said Friedman's crusade has made him consider his own practices more carefully, despite their difference in opinion.
"He made me think about why we were doing what we're doing," Dodson said.

Mensagem para o primeiro dia de 2013


The teeth are hard and fall out,
While the tongue is soft and lasts a lifetime.
Therefore the wise say,
Yield and overcome.
Lao Tzu

sábado, 29 de dezembro de 2012

Indicação de CD: Mario Adnet – Um Olhar Sobre Villa-Lobos

 

 

 A proposta de Mario Adnet nesta apresentação é desmistificar o caráter erudito de sua obra, ampliando fronteiras musicais, mas sem desrespeitar as ideias originais de Villa-Lobos.

Indicação de livro: A culpa é das estrelas

Que livro lindo !  Quanta delicadeza e sensibilidade...emocionante do começo ao fim.


Em A Culpa é das Estrelas, Hazel é uma paciente terminal de 16 anos que tem câncer desde os 13. Ainda que, por um milagre da medicina, seu tumor tenha encolhido bastante — o que lhe dá a promessa de viver mais alguns anos —, o último capítulo de sua história foi escrito no momento do diagnóstico. Mas em todo bom enredo há uma reviravolta, e a de Hazel se chama Augustus Waters, um garoto bonito que certo dia aparece no Grupo de Apoio a Crianças com Câncer. Juntos, os dois vão preencher o pequeno infinito das páginas em branco de suas vidas.


How to be an explorer of the world


'Forbes': conheça 13 atitudes dos empreendedores "notáveis"


Empreendedores "notáveis" - aqueles que se destacam e superam expectativas - têm pontos em comum. Segundo uma lista elaborada pelo site da Forbes, há 13 atitudes que são tomadas constantemente por eles.
 1- Riem de si mesmos

2- "Roubam" coisas: esses profissionais costumam ter muitas ideias, mas não se importam se outras pessoas tomam suas criações, pois têm em mente que ideias são importantes, mas a execução para realizá-las é o que realmente importa

3- São responsáveis e costumam fazer uma lista após completar tarefas como uma forma de "desfrutar" da sensação de produtividade

4- São organizados

5- Não desistem facilmente quando uma porta se fecha. Esses empreendedores costumam ter em mente que quando isso ocorre, outra porta se abre, e que frente a decisões difíceis, é preciso estar disposto a perder ou desistir de algo para se conseguir outra coisa

6- Não se sentem envergonhados por causa dos próprios pontos fracos, pois têm uma confiança alta nos pontos fortes

7- Apostam em mentoring (troca de experiências com profissionais mais antigos) ou em coaching (profissional que ajuda o cliente a atingir metas). Ou seja, são pessoas que procuram mentores

8- Compartilham ideias na internet ou em blogs

9- Trabalham muito, mas, mesmo assim, procuram cuidar da mente e do corpo

10- Gostam de começar coisas, de dizer que são os fundadores de um projeto ou uma iniciativa.

11- Perguntam sobre os outros para que possam falar de si próprios

12- Têm projetos e planos com diferentes prazos e que costumam sair da zona de conforto. São objetivos para a semana, para um ano, para os próximos 10 anos

13- Exibem prêmios que acumulam na vida profissional em seus escritórios

quinta-feira, 27 de dezembro de 2012

Como preparar a mente para ter um ano novo de realizações e conquistas


Como preparar a mente para ter um ano novo de realizações e conquista
Extraiído de: http://sentirbem.uol.com.br/?p=4429


Muitas pessoas começam o ano novo fazendo listas do que devem ou desejam fazer, mas quando chega o final do ano o resultado final quase sempre demonstra que a maioria das metas não foram realizadas. Como resultado, surge um sentimento negativo de culpa e frustração por não ter atingido os objetivos.
Segundo Myriam Durante, psicoterapeuta e presidente do IPOM – Instituto de Pesquisa e Orientação da Mente, essa situação muitas vezes acontece porque a pessoa não prepara sua mente de maneira adequada para concretizar seus planos. “Infelizmente muitos não percebem as armadilhas criadas por sua própria mente, que inconscientemente pode estar jogando contra os seus desejos”, explica.
A psicoterapeuta afirma que é possível por meios de algumas práticas simples mudar esse tipo de condicionamento e programar a mente para o sucesso. “Existem algumas práticas simples para se conseguir uma mudança de atitude. Mas nem sempre o simples é fácil. Sem força interior não se consegue mudar nada”.
Confira algumas dicas de transformação, que de acordo com a psicoterapeuta, ajudam a ter mais sucesso e realizações:
- Antes que o ano acabe, comece a jogar no seu time. Seja seu melhor amigo. Aceite seus limites, perdoe seus erros. Entre em 2013 gostando de você.
- Aprenda a ouvir e dizer a palavra não. Perca o medo da rejeição ou de parecer egoísta. Diga sim apenas se realmente puder cumprir, sem comprometer seus objetivos e seu orçamento. Todos nós temos esse direito e você também tem. Ouvimos não a vida inteira. Isto faz parte da vida e ninguém morre por isso.
Acredite em você, mesmo que isso lhe pareça difícil e mesmo que você ache impossível. Modifique o seu jeito de ser. Acredite que tudo o que você repetir com insistência e acreditar acabará se tornando verdadeiro. O real conhecimento chega até nós quando nos sintonizamos com a nossa alma. Aí sim percebemos que ele já está dentro de nós.
Fique triste. Às vezes também é preciso se sentir triste. Acredito que a vida é boa e que existem sim alguns momentos ruins, mas não todos os dias. É normal ter angústia ou tristeza de vez em quando. O importante é aprender a lidar com essa situação e buscar novos meios de se sentir bem.
Pratique a autossugestão. Emile Coué (1861-1921), o pai da autossugestão, dizia “todos os dias, sobre todos os pontos de vista, eu vou cada vez melhor”. Eu recomendo essa frase para todas as pessoas que atendo. De tanto você repetir essa afirmação, ela se transformará numa crença que se transformará em uma crença que se refletirá em novas atitudes. Muito simples, não? Mas tenha certeza, ela funciona. Por isso, tenha cuidado com o que você anda afirmando. Mude suas afirmações e tenha um olhar mais afetivo sobre você mesmo.
- Intuição. Se você não sabe o que gosta de fazer, talvez tenha parado de ouvir a si mesmo há muito tempo. Muitas pessoas se modificam apenas para agradar os outros. Procure se escutar mais, ouça a sua intuição. Ela não é uma voz alta e clara dizendo faça isso ou aquilo. É apenas um sentimento, uma certeza, um contato consigo mesmo e com Deus.
Estabeleça metas. Faça uma lista das suas prioridades. Planeje um passo de cada vez e estabeleça metas mais realistas. Desta maneira, fica mais fácil. Assim você não desanima ou desiste antes de alcançá-los.
Medite. Comece a meditar todos os dias. Dedique meia hora do seu tempo apenas para você. Pode ser o horário que você quiser. No começo, pode parecer difícil, por isso, pratique e seja paciente. Insista. Com a repetição você irá alcançar camadas cada vez mais profundas, até alcançar o nível de paz interior e tranquilidade onde acontece a mudança e a transformação.
- Dar início a algo novo requer coragem e muita força de vontade. Muitas vezes sentimos medo e acabamos nos escondemos do desconhecido. No seu momento, você conseguirá. Há uma força extra dentro de você, algo que te acompanha e que faz o caminho se tornar muito mais fácil. Procure dar o seu esforço total, mesmo quando todas as chances estão contra você. Tenha fé e acredite em si mesmo. Não demore muito a usar a sua intuição e nunca desista na primeira tentativa.
- Autoconhecimento. Esse sim é o grande caminho. A única coisa impossível na vida é fugirmos de nós mesmo e, ainda assim, a maioria dos seres humanos é um completo desconhecido para si próprio. Descubra-se! 

domingo, 16 de dezembro de 2012

Chove em São Paulo

Hoje choveu o dia todo em São Paulo. E ainda chove.  Adoro ouvir músicas enquanto as gotas marcam as janelas dizendo para mim: "curte aí". 

Fiz esta indie-pop handcrafted music playlist para dias como hoje.

Basta apertar o play e aumentar o volume





Músicas clássicas que eu adoro.

Músicas muito especiais e super selecionadas. Não vale ouvir sem fechar os olhos e sem se emocionar.

Basta apertar o play e aumentar o volume


It's classical music for a rainy day from Eduardo Fregnani on 8tracks


sábado, 22 de setembro de 2012

Participação no 17th World Congress on Dental Traumatology

                               Dra.Simony Kataoka, Dr. Syngcuk Kim e Dr. Eduardo Fregnani
                                  Dr. Renato Lenzi, presidente do evento, e Dr Eduardo Fregnani
                                                            Com amigos durante Hands-on
                                  Na tradicional churrascaria Porcão com a PENN-ENDO team

Novo artigo publicado no JOE: Presence of Myofibroblasts and Matrix Metalloproteinase 2 in Radicular Cysts, Dentigerous Cysts, and Keratocystic Odontogenic Tumors: A Comparative Immunohistochemical Study

O Journal of Endodontics do mês de Outubro traz mais um artigo em que participei como pesquisador. 
Seguindo uma linha de pesquisa onde publicamos em 2012 dois artigos no Brazilian Dental Journal, um no International Endodontic Journal e agora no Journal of Endodontics. Como é gratificante ver um trabalho iniciado em 2009 com meu grande amigo Danyel Perez renderem os frutos finais ! 


domingo, 26 de agosto de 2012

O discurso de Bryan Dyson


Bryan Dyson fez este discurso na hora de deixar o cargo de presidente da Coca Cola: 
“ Imagine a vida como um malabarismo com cinco bolas. Estas são: seu trabalho, sua família, sua saúde, seus amigos e sua vida espiritual. E você tem que mantê-las sempre no ar.
Logo você vai perceber que o trabalho é como uma bola de borracha. Se deixar cair, ela rebaterá e irá saltar de volta. Mas as outras quatro bolas- família, saúde, amigos e vida espiritual- são frágeis como vidro. Se você deixar cair, irrevogavelmente serão lascadas ou mesmo quebradas. Nunca mais serão as mesmas.

Por isso, trabalhe de forma eficaz nas horas normais de trabalho, mas, nas demais, dê o tempo necessário para o mais importante: a família, os amigos e você. Relacione-se com quem gosta, exercite-se, coma e descanse adequadamente. E acima de tudo, cresça na vida espiritual, a mais importante, porque é eterna.
Para viver bem e evitar a maioria dos problemas vale, adicionalmente, lembrar uma frase de Shakespeare: eu sempre me sinto feliz, porque não espero nada de ninguém.
E eu adicionaria 8 regras: antes de falar… ouça! Antes de escrever… pense! Antes de gastar… ganhe! Antes de criticar… examine-se! Antes de ofender… respire fundo! Antes de orar… perdoe! Antes de desistir… tente e, acima de tudo, antes de morrer, viva!".

quinta-feira, 16 de agosto de 2012

Por que meditar?


Por que meditar?

A meditação é um modo de nos fixar em nós mesmos, no mais profundo centro de nosso ser. Uma vez que você encontrou o centro de sua existência, você terá encontrado tanto suas raízes quanto suas asas.

As raízes estão na existência, tornando você um ser humano mais integrado, um indivíduo. E as asas estão na fragrância que é liberada por estar em contato com a existência. A fragrância consiste de liberdade, amor, compaixão, autenticidade, sinceridade, um senso de humor, e um tremendo sentimento de alegria.

As raízes tornam você um indivíduo e as asas dão a você a liberdade do amor, para ser criativo, para compartilhar incondicionalmente a alegria que você encontrou. As raízes e as asas chegam juntas. Elas são dois lados de uma experiência e esta experiência é achar o centro de seu ser.

Estamos continuamente nos movendo na circunferência, sempre em algum lugar bem distante de nosso próprio ser, sempre direcionados para os outros. Quando tudo isso é abandonado, quando todos os objetos são abandonados, quando você fecha seus olhos para tudo que não é você; até mesmo sua mente, as batidas de seu coração são deixadas para trás; apenas um silêncio permanece.

Nesse silêncio você lentamente se assentará no centro de seu ser e então as raízes crescerão por si mesmas e as asas também. Você não precisa se preocupar com elas. Você não pode fazer nada com elas. Elas chegam por si mesmas.

Você apenas preenche uma condição, que é: estar em casa; e toda a existência se torna uma alegria para você, uma bênção.


"The Osho Upanishad" OSHO

domingo, 12 de agosto de 2012

Curso de Atualização na Sociedade Paraguaia de Endodontia


Texto extraído de um jornal local  ( http://www.abc.com.py)

Endodoncistas se actualizaron ayer

El Dr. Eduardo Fregnani, especialista en Endodoncia y Máster en Patología Oral formado en la Facultad de Odontología de Piracicaba - Unicamp (Campinas, SP, Brasil) y PhD en Ciencias Medicas, brindó ayer un curso de actualización a miembros de la Sociedad Paraguaya de Endodoncia. El mismo se llevó a cabo en los salones del Bourbon Hotel.

En la ocasión, el Dr. Fregnani dio a conocer todos los detalles más nuevos para una mejor atención a los pacientes, acorde con tecnologías de última generación.
El Dr. Fregnani estuvo acompañado de la Dra. Débora Parra Sellera, del Brasil. Ambos poseen un extenso currículo académico y experiencia clínica.
La Dra. Débora Parra Sellera es odontóloga formada en la Facultad de Odontología de la USP (FOUSP); especialista en Endodoncia de Unimes, además de Biología Celular y Molecular y máster en Ciencias.
Otros aspectos que fueron tratados en la ocasión fueron sobre la endodoncia clínica, conceptos y protocolos actuales, soluciones de complicaciones en endodoncia mediante el uso del microscopio operatorio y microcirugía para endodoncia.
Además de principios básicos de la terapia fotodinámica en endodoncia.
Igualmente, hablaron sobre el tratamiento endodóntico en pacientes con enfermedades sistémicas y bajo tratamiento oncológico.
En ocasión del evento fue lanzado el libro del Foro Brasileño de Endodoncia (FBE), titulado “Endodoncia: una visión contemporánea”, recientemente lanzado en Brasil por Editora Santos, bajo la coordinación de los Dres. Fregnani y Ruy Hizatugu, y la participación de numerosos investigadores y clínicos brasileños y de otros países, según sostuvo el presidente de la Sociedad Paraguaya de Endodoncia, Dr. Carlos Heilborn.

It's a dream. But can this be, no?

Trilha sonora para sonhar. Basta apertar play




segunda-feira, 6 de agosto de 2012

Medicina espiritual está sempre presente na alma


"Em silêncio está a capacidade de ouvir, ouvir a nós mesmos, aos outros e a Deus. Ouvir é uma arte perdida. Sem ela não podemos nos comunicar, não pode relacionar-se uns aos outros e por isso não podemos viver a vida com sentido. Precisamos aprender a ouvir. Sentar-se em silêncio nos permite ouvir a nós mesmos e compreender. Este silêncio pode curar. As preocupações, a dor pode ser curada quando ouvimos. Medicina espiritual está sempre presente na alma. Sempre que precisar, em qualquer medida que precisamos, podemos encontrá-lo dentro.Se você falar mal dos outros, a energia negativa que você colocar para fora no universo, voltará para você. O mesmo é verdadeiro de energia positiva.A ignorância faz você acreditar que as funções da vida ao acaso. Sabedoria ensina que tudo o que acontece neste teatro da vida tem um significado profundo. O que você vê hoje não é fruto do acaso, mas fruto de sementes plantadas no passado. Plante sementes de paz agora e você vai criar uma vida de paz no futuro.Uma pessoa que ama vive em um mundo de amor. Uma pessoa hostil vive em um mundo hostil. Seu mundo é seu espelho.Oportunidades vêm pela criação, não por acaso.''

Reintervenção endodôntica em sessão única em dentes com lesão periapical. Controle radiográfico evidenciando sucesso.

Seguem 02 casos de Reintervenção endodôntica em sessão única em dentes com lesão periapical. 

Controle radiográfico ( radiografias digitais) evidenciando reparo periapical. 



Caso 1.

                                                                            Caso 2.

Dr Eduardo Fregnani trabalha com Microscopia Operatória em tempo integral para o tratamento dos canais radiculares e em seu consultório tem disponível tecnologia de ponta.

domingo, 5 de agosto de 2012

Momentos incríveis


''O que importa é viver o presente, viver agora, pois cada momento é agora. É seus pensamentos e atos do momento que criam o seu futuro. O esboço do seu caminho futuro já existe, por que você criou seu padrão pelo seu passado.Ameis uns aos outros e ajudar os outros a subir aos níveis mais elevados, simplesmente derramando amor. O amor é contagiante e a maior energia de cura.''

Sai Baba's Blessings





domingo, 22 de julho de 2012

O poder do pensamento.






''Somos o que pensamos. Tudo o que somos surge com nossos pensamentos. Com nossos pensamentos, fazemos o nosso mundo.''

          Siddhartha Gautam Buddha

domingo, 8 de julho de 2012

O caminho do coração

O CAMINHO DO CORAÇÃO

"Tudo é um entre quantidades de caminhos. Portanto você deve ter sempre em mente que um caminho não é mais do que um caminho. Se achar que não deve seguí-lo, não deve permanecer nele sob nenhuma circunstância. Para ter uma clareza destas é preciso levar uma vida disciplinada. Só então você saberá que um caminho não passa de um caminho e não há afronta, nem para si nem para osoutros, em largá-lo se é isto que seu coração o manda fazer. Mas sua decisão de continuar no caminho ou largá-lo deve ser isenta de medo e de ambição. Eu lhe aviso.

Olhe bem cada caminho de perto, deliberadamente e com propósito. Experimente tantas vezes quanto julgar necessário. Então faça a si mesmo, e só a si mesmo, uma pergunta. Esta pergunta é uma que só os muito velhos fazem. Meu benfeitor certa vez me contou a respeito quando eu era jovem, mas meu sangue vigoroso demais para que eu a compreendesse. Agora eu a compreendo. Eu te direi qual é essa pergunta:

Esse caminho tem coração?
Todos os caminhos são os mesmos, não conduzem a lugar algum. São caminhos que atravessam o mato ou que entram no mato. Em minha vida posso dizer que já passei por caminhos compridos, compridos, mas não estou em lugar algum. A pergunta de meu benfeitor agora tem um significado.

Esse caminho tem um coração?

Se tiver o caminho é bom, se não tiver é inútil. Ambos os caminhos não conduzem a parte alguma, mas um tem coração e o outro não. Um torna a viagem alegre, enquanto você o seguir, será um com ele. O outro o fará maldizer sua vida. Um o torna forte, o outro o enfraquece.

Você acha que há dois mundos para você, dois caminhos, mas só existe um. O único mundo possível para você é o mundo dos homens, e esse mundo você não pode resolver largar. É um homem. O protetor, Mescalito, lhe mostrou o mundo da felicidade, onde não há diferença entre as coisas, porque lá não há ninguém que indague pela diferença. Mas este não é o mundo dos homens. O protetor o sacudiu dali para fora e lhe mostrou como é que o homem pensa e luta. Este é o mundo do homem. E ser um homem é estar condenado a este mundo. Você tem a presunção de crer que vive em dois mundos, mas isto é apenas vaidade. Só existe um único mundo para nós. Somos homens e temos que seguir o mundo dos homens satisfeitos.

Como saberei se ao certo se o caminho tem ou não tem coração?

Qualquer pessoa sabe disto. O problema é que ninguém faz a pergunta, e quando afinal o homem descobre que tomou um caminho sem coração o caminho está pronto para matá-lo. Neste ponto muito poucos homens conseguem parar para pensar e deixar o caminho.

Um caminho sem coração nunca é agradável. Tem-se de trabalhar muito até para seguí-lo. Por outro lado um caminho com coração é fácil, não o faz trabalhar para gostar dele.

O desejo de aprender não é ambição. É nosso destino como homens querer saber. Querer o poder é que é ambição. Não deixe que a erva do diabo o cegue. Já o fisgou. Engoda os homens e lhes dá uma sensação de poder. Ela os faz sentir que podem fazer coisas que nenhum homem comum pode fazer. Mas isto é a armadilha dela. E em seguida o caminho sem coração se volta contra os homens e os destrói. Não custa muito morrer, e procurar a morte é não procurar nada." 



( A Erva do Diabo- Carlos Castaneda)

Curso em Assumpcion - Paraguay


quinta-feira, 28 de junho de 2012

Médicos devem saber como seus pacientes pensam


"Médicos devem saber como seus pacientes pensam", dizem professores de Harvard


[...] Evidence-based medicine risks having the doctor choose care passively, solely by the numbers. Statistics cannot substitute for the human being before you; statistics embody averages, not individuals. Numbers can only complement a physician's personal experience with a drug or a procedure, as well as his knowledge of whether a "best" therapy from a clinical trial fits a patient's particular needs and values.

Each morning as rounds began, I watched the students and residents eye their algorithms and then invoke statistics from recent studies. I concluded that the next generation of doctors was being conditioned to function like a well-programmed computer that operates within a strict binary framework. After several weeks of unease about the students' and residents' reliance on algorithms and evidence-based therapies alone, and my equally unsettling sense that I didn't know how to broaden their perspective and show them otherwise, I asked myself a simple question: How should a doctor think?

This question, not surprisingly, spawned others: Do different doctors think differently? Are different forms of thinking more or less prevalent among the different specialties? In other words, do surgeons thinks differently from internists, who think differently from pediatricians? Is there one "best" way to think, or are there multiple, alternative styles that can reach a correct diagnosis and choose the most effective treatment? How does a doctor think when he is forced to improvise, when confronted with a problem for which there is little or no precedent? (Here algorithms are essentially irrelevant and statistical evidence is absent.)...
 
(How Doctor's Think. Jerome Groopman. 2008)

Algumas pessoas buscam apoio nas pesquisas e nas estatísticas sobre os tratamentos, mas vocês dizem que isso não ajuda. Por quê?
Hartzband - É preciso ter muito cuidado com números. No livro falamos de uma mulher cujo médico disse que, se ela tomasse uma estatina contra colesterol, seu risco de infarto seria reduzido em 30%. Mas, quando ela procurou saber o risco de uma pessoa como ela sofrer um infarto nos dez anos seguintes, sem tomar remédio algum, viu que era de 1%. Então seu risco de 1% poderia ser reduzido em 30%. Quando você ouve que o risco é reduzido em 30%, sua mente o engana. Você pensa que seu risco é de 100%. Os números são difíceis de interpretar.
O risco de um nódulo na tireoide ser câncer é de 16%, segundo estudos. Para o indivíduo, é sim ou não: ele tem ou não tem. Um "maximalista" diria: "Quero remover o nódulo". Um minimalista, não. O mesmo número tem um impacto diferente dependendo da sua mentalidade.
Se os pacientes têm seus vieses, os médicos também os têm. Um especialista tende a recomendar mais as técnicas que ele mesmo usa. O que o paciente deve fazer?
Groopman - Se um paciente entende por que recebe indicações diferentes e que isso tem base na mentalidade do médico, isso o ajuda a se perguntar: "Qual é a minha mentalidade? Até onde estou disposto a me arriscar?". Quanto mais os pacientes entendem os riscos e os benefícios de tomar um remédio, maior é a diversidade de escolhas de cada um. Acreditamos em uma medicina baseada em avaliação cuidadosa, não só em evidências. Você olha as evidências e faz sua avaliação com base no paciente.

PAMELA HARTZBAND  IDADE 60 anos FORMAÇÃO E ATUAÇÃO
Médica pela Escola de Medicina de Harvard, onde hoje dá aulas. Especializou-se em endocrinologia pela Universidade da Califórnia. É autora de estudos sobre o impacto da internet na cultura da atenção à saúde e da aplicação de diretrizes
JEROME GROOPMAN  IDADE 60 anos FORMAÇÃO E ATUAÇÃO
Médico pela Universidade Columbia, em Nova York, especialista em hematologia e oncologia pela Universidade da Califórnia. É professor na Escola de Medicina de Harvard e escreveu "Como os Médicos Pensam" (Ed. Agir, 2008), entre outros livros