sexta-feira, 7 de agosto de 2009

Obturação apical com MTA

DR EDUARDO FREGNANI
Caso de abscesso
resumo
1. desobturação do canal e drenagem
2. descontaminação ( clorexidina gel 2% e Terapia Fotodinâmica)
3. selamento apical com MTA
4. selamento coronário com Resina composta.




5 comentários:

  1. olá Eduardo. Meu nome é Lygia Madi e sou consultora científica da Angelus. LIndo seu caso clínico. Você já tem proservação dele?

    ResponderExcluir
  2. olá Edaurdo, meu nome é Lygia Madi e sou consultora científica da Angelus. Muito bonito seu caso. Você já tem proservação dele?

    ResponderExcluir
  3. Oi Lígia, obrigado pelo comentário! Me desculpe a demora em responder, estava fora. O caso será proservado em 2 meses...mas clinicamente o paciente teve um pós operatório maravilhoso !
    Um abraço e obrigado pela visita ao blog,
    Eduardo

    ResponderExcluir
  4. Oi Eduardo.Sou Patricia e Brasilia.Gostaria de saber o que voce fez para tentar evitar extravasamento de MTA. Fez plug com hid. de cálcio? Colocou cursor no condensador em 2mm aquém? Estou com uma caso desse , mas insegura para usar MTA.

    ResponderExcluir
  5. Olá Patrícia, obrigado pelo seu comentário. Bem, esses casos eu sempre faço em 2 sessões e na primeira, após completa desobturação e desinfecção preencho o conduto com Hidróxido de cálcio para que na minha próxima intervenção o pH do meio esteja estabilizado e ter ausência de exsudato. Na grande parte dos casos eu utilizo tampão com HC ou Sulfato de Cálcio. A partir daí insiro o MTA. O microscópio operatório e os aplicadores MAP system auxiliam muito. Faço algumas radiografias para visualizar o meu prenchimento. Em uma outra técnica, ao invés do uso de tampão com HC ou SC utilizamos esponjas de colágeno. Estou à disposição para mais detalhes, se quiser. Um abraço, Eduardo

    ResponderExcluir